string(65) "

Mais RN

Amaro Sales de Araújo, Presidente da FIERN e COMPEM/CNI.


O projeto MAIS RN é um exercício de planejamento. A primeira fase foi concluída, mas o projeto não é inerte. Vai sendo atualizado pelos grandes desafios que enseja. Insisto com o tema pela importância: sem planejamento não identificamos o que desejamos e não sabemos onde queremos chegar! Aliás, é importante reavivar o assunto também com o propósito de esclarecer: FIERN e empresas patrocinadoras apresentaram ao Rio Grande do Norte um documento com metas, indicativos, cenários, oportunidades de negócios, ou seja, uma sugestão de roteiro para que em 2035 possamos ter mais desenvolvimento e qualidade de vida para, aproximadamente, 4 milhões de habitantes, população estimada para aquele ano.

Como estratégia de desenvolvimento, pelo menos, quatro grandes metas são lembradas: a melhoria contínua do ambiente de negócios; a promoção da competitividade sistêmica do Rio Grande do Norte; o incentivo ao empreendedorismo potiguar e uma promoção ativa de investimentos. Por onde começar? O próprio Mais RN responde: “O ponto de partida da Estratégia de Desenvolvimento Econômico e Promoção de Investimentos do Rio Grande do Norte 2016-2035 é a celebração de um amplo pacto político e social para implementar esta ousada agenda que articule a qualidade das instituições, a eficiência do Estado, o ajuste fiscal, os investimentos em infraestrutura e em educação com o empreendedorismo potiguar”.

Não há, portanto, nenhuma receita mágica. A implantação do roteiro sugerido começa pela conscientização de todos no sentido de que é preciso saber para onde desejamos ir e, neste sentido, se formos juntos, pactuados, decidirmos por um mesmo caminho! As vantagens da união, do consenso em torno de propósitos, da realização de prioridades falam por si. O Mais RN, neste cenário, se apresenta como roteiro que, aliás, pode ser criticado e melhorado, mas a partir dele temos um referencial para o debate.

Um debate, todavia, que não pode demorar. O Rio Grande do Norte viverá nas próximas duas décadas o seu bônus demográfico, “estágio no qual a população em idade ativa atinge seu nível máximo em comparação com a população infanto-juvenil e idosa”, explica o próprio Projeto ao propor que, para este período, se faça a promoção de um salto educacional. O Rio Grande do Norte, se apostar na educação de qualidade e na preparação de seu capital humano, aproveitará o momento do bônus demográfico para ter, de um lado, mais empreendedores e, de outro, mais pessoas qualificadas para impulsionar um decisivo momento de nossa história. Ao contrário, poderemos ter um número bastante significativo de desempregados, fato que comprometerá seriamente o futuro do Rio Grande do Norte nas décadas seguintes.

Assim, entre uma e outra estratégia, o Mais RN sugere projetos e metas, inclusive, identifica possíveis investimentos em áreas de atuação para a iniciativa privada. De todo modo, tudo começa com o pacto e com a sensibilidade de nossos líderes e autoridades para uma pauta concreta – com metas e responsabilidades definidas - em torno dos maiores interesses do Rio Grande do Norte, a maioria dos quais o Mais RN conseguiu sistematizar.

 

Publicado na Tribuna do Norte - 02/07/2016

"

FIERN | SESI | SENAI | IEL

Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Korean Russian Spanish

Artigos

Mais RN

Amaro Sales de Araújo, Presidente da FIERN e COMPEM/CNI.


O projeto MAIS RN é um exercício de planejamento. A primeira fase foi concluída, mas o projeto não é inerte. Vai sendo atualizado pelos grandes desafios que enseja. Insisto com o tema pela importância: sem planejamento não identificamos o que desejamos e não sabemos onde queremos chegar! Aliás, é importante reavivar o assunto também com o propósito de esclarecer: FIERN e empresas patrocinadoras apresentaram ao Rio Grande do Norte um documento com metas, indicativos, cenários, oportunidades de negócios, ou seja, uma sugestão de roteiro para que em 2035 possamos ter mais desenvolvimento e qualidade de vida para, aproximadamente, 4 milhões de habitantes, população estimada para aquele ano.

Como estratégia de desenvolvimento, pelo menos, quatro grandes metas são lembradas: a melhoria contínua do ambiente de negócios; a promoção da competitividade sistêmica do Rio Grande do Norte; o incentivo ao empreendedorismo potiguar e uma promoção ativa de investimentos. Por onde começar? O próprio Mais RN responde: “O ponto de partida da Estratégia de Desenvolvimento Econômico e Promoção de Investimentos do Rio Grande do Norte 2016-2035 é a celebração de um amplo pacto político e social para implementar esta ousada agenda que articule a qualidade das instituições, a eficiência do Estado, o ajuste fiscal, os investimentos em infraestrutura e em educação com o empreendedorismo potiguar”.

Não há, portanto, nenhuma receita mágica. A implantação do roteiro sugerido começa pela conscientização de todos no sentido de que é preciso saber para onde desejamos ir e, neste sentido, se formos juntos, pactuados, decidirmos por um mesmo caminho! As vantagens da união, do consenso em torno de propósitos, da realização de prioridades falam por si. O Mais RN, neste cenário, se apresenta como roteiro que, aliás, pode ser criticado e melhorado, mas a partir dele temos um referencial para o debate.

Um debate, todavia, que não pode demorar. O Rio Grande do Norte viverá nas próximas duas décadas o seu bônus demográfico, “estágio no qual a população em idade ativa atinge seu nível máximo em comparação com a população infanto-juvenil e idosa”, explica o próprio Projeto ao propor que, para este período, se faça a promoção de um salto educacional. O Rio Grande do Norte, se apostar na educação de qualidade e na preparação de seu capital humano, aproveitará o momento do bônus demográfico para ter, de um lado, mais empreendedores e, de outro, mais pessoas qualificadas para impulsionar um decisivo momento de nossa história. Ao contrário, poderemos ter um número bastante significativo de desempregados, fato que comprometerá seriamente o futuro do Rio Grande do Norte nas décadas seguintes.

Assim, entre uma e outra estratégia, o Mais RN sugere projetos e metas, inclusive, identifica possíveis investimentos em áreas de atuação para a iniciativa privada. De todo modo, tudo começa com o pacto e com a sensibilidade de nossos líderes e autoridades para uma pauta concreta – com metas e responsabilidades definidas - em torno dos maiores interesses do Rio Grande do Norte, a maioria dos quais o Mais RN conseguiu sistematizar.

 

Publicado na Tribuna do Norte - 02/07/2016

Prev Next