string(65) "

A PAUTA DO RN

Amaro Sales de Araújo, Presidente da FIERN e COMPEM/CNI.

A FIERN, com a CNI e outras Federações do Nordeste, foi ao encontro do Presidente Michel Temer no último dia 16 de agosto. Confesso a satisfação de ter participado do encontro tão importante, tanto pela responsabilidade da representação exercida, quanto pela atenção recebida da Presidência da República aos assuntos do Nordeste. Voltei mais confiante com o Brasil e com o futuro!

Particularmente, dada a objetividade da reunião, julgamos evidenciar os temas maiores, ou seja, aqueles que teriam maior repercussão no cenário econômico, particularmente, para a indústria potiguar. Em síntese, então, construímos um documento onde destacamos, de início, a relevância estratégica da segurança hídrica para o Rio Grande do Norte através da transposição das águas do Rio São Francisco e a importância da continuidade das obras da Barragem Oiticica.

Também registramos a necessidade da duplicação da BR-304 considerando a conclusão da nova “Reta Tabajara”, já em execução. Abordamos, em ato contínuo, as linhas de transmissão para a energia eólica produzida no Estado. O Rio Grande do Norte já produz 3.115,6 MW a partir de parques instalados de energia eólica (e muitos ainda sem linha de transmissão para escoar sua produção). Outros 1.647,7 MW já estão em fase de implantação. Há muito mais a expandir, todavia, as linhas de transmissão são imperiosas, fato que deve ensejar melhor atenção do Governo Federal, pois sua ausência e demora na implantação constituem enorme gargalo para essa expansão.

Tratamos sobre exportações, as potencialidades que dispomos e o apoio que, existindo, potencializaria a produção e os negócios. Dedicamos especial tempo a suspensão de atividades da PETROBRAS no Rio Grande do Norte, cujo impacto desse desinvestimento poderá ser muito forte na nossa economia. Cobramos uma outra postura em relação ao nosso Estado, que ainda é um dos ativos mais importantes para a PETROBRAS. Enfim, tentamos demonstrar que o Rio Grande do Norte tem muito a oferecer ao Brasil.

O Presidente Michel Temer foi atencioso com todos e recebeu depoimentos de apoio e estímulo às medidas de retomada do crescimento e da limitação dos gastos públicos. O próprio Presidente demonstrou a necessidade das reformas trabalhista e previdenciária, revisão das normas regulamentadoras, resguardando a complexidade dos temas. Disse que, apesar da necessidade de aumentar a arrecadação, não pretende aumentar impostos e que ações práticas devem ser levadas à efeito, como a revitalização do Rio São Francisco, a retomada de, aproximadamente, 2800 obras paralisadas do Governo Federal e o reinício do Programa Minha Casa, Minha Vida, iniciativa fundamental para aquecer a economia nacional.

As solicitações foram encaminhadas pelo Presidente Michel Temer com responsabilidade. Ele, por sua vez, demonstrou a gravidade do momento, fez comentários e indicou problemas, mas não nos deixou sem esperanças. Temos uma pauta de trabalho e há perspectivas de avanço. Existe o diálogo e, ao contrário de antes, existe otimismo!

Transcrito da Tribuna do Norte (28/08/2016)

"

FIERN | SESI | SENAI | IEL

Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Korean Russian Spanish

Artigos

A PAUTA DO RN

Amaro Sales de Araújo, Presidente da FIERN e COMPEM/CNI.

A FIERN, com a CNI e outras Federações do Nordeste, foi ao encontro do Presidente Michel Temer no último dia 16 de agosto. Confesso a satisfação de ter participado do encontro tão importante, tanto pela responsabilidade da representação exercida, quanto pela atenção recebida da Presidência da República aos assuntos do Nordeste. Voltei mais confiante com o Brasil e com o futuro!

Particularmente, dada a objetividade da reunião, julgamos evidenciar os temas maiores, ou seja, aqueles que teriam maior repercussão no cenário econômico, particularmente, para a indústria potiguar. Em síntese, então, construímos um documento onde destacamos, de início, a relevância estratégica da segurança hídrica para o Rio Grande do Norte através da transposição das águas do Rio São Francisco e a importância da continuidade das obras da Barragem Oiticica.

Também registramos a necessidade da duplicação da BR-304 considerando a conclusão da nova “Reta Tabajara”, já em execução. Abordamos, em ato contínuo, as linhas de transmissão para a energia eólica produzida no Estado. O Rio Grande do Norte já produz 3.115,6 MW a partir de parques instalados de energia eólica (e muitos ainda sem linha de transmissão para escoar sua produção). Outros 1.647,7 MW já estão em fase de implantação. Há muito mais a expandir, todavia, as linhas de transmissão são imperiosas, fato que deve ensejar melhor atenção do Governo Federal, pois sua ausência e demora na implantação constituem enorme gargalo para essa expansão.

Tratamos sobre exportações, as potencialidades que dispomos e o apoio que, existindo, potencializaria a produção e os negócios. Dedicamos especial tempo a suspensão de atividades da PETROBRAS no Rio Grande do Norte, cujo impacto desse desinvestimento poderá ser muito forte na nossa economia. Cobramos uma outra postura em relação ao nosso Estado, que ainda é um dos ativos mais importantes para a PETROBRAS. Enfim, tentamos demonstrar que o Rio Grande do Norte tem muito a oferecer ao Brasil.

O Presidente Michel Temer foi atencioso com todos e recebeu depoimentos de apoio e estímulo às medidas de retomada do crescimento e da limitação dos gastos públicos. O próprio Presidente demonstrou a necessidade das reformas trabalhista e previdenciária, revisão das normas regulamentadoras, resguardando a complexidade dos temas. Disse que, apesar da necessidade de aumentar a arrecadação, não pretende aumentar impostos e que ações práticas devem ser levadas à efeito, como a revitalização do Rio São Francisco, a retomada de, aproximadamente, 2800 obras paralisadas do Governo Federal e o reinício do Programa Minha Casa, Minha Vida, iniciativa fundamental para aquecer a economia nacional.

As solicitações foram encaminhadas pelo Presidente Michel Temer com responsabilidade. Ele, por sua vez, demonstrou a gravidade do momento, fez comentários e indicou problemas, mas não nos deixou sem esperanças. Temos uma pauta de trabalho e há perspectivas de avanço. Existe o diálogo e, ao contrário de antes, existe otimismo!

Transcrito da Tribuna do Norte (28/08/2016)

Prev Next