string(65) "

Indústria do Conhecimento (SESI/Rocas) sedia a 6ª Semana do Cérebro

O Instituto do Cérebro (ICe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promove de 13 a 17 de março, a 6ª Semana do Cérebro, com oficinas e palestras nos municípios de Natal e Lagoa de Pedras. Com a temática “Cérebros estudando cérebros”, as atividades são gratuitas e voltadas para todas as idades.

Nesta terça-feira (14), as oficinas aconteceram na Indústria do Conhecimento, Biblioteca Virgílio Urbano de Araújo, do SESI-RN, localizada no bairro das Rocas em Natal/RN, das 9h às 16h, sobre “Sentidos”, “Neuroanatomia” e “Drogas”, além de uma palestra sobre Zika vírus e microcefalia, com o palestrante Eduardo Sequerra. A programação teve sequência às 17 horas no Instituto Metrópole Digital (IMD), com palestras e mesa redonda sobre “Inteligência artificial a partir do filme Ex-Machina”, com os professores Izabel Hazin (Departamento de Psicologia), Allan Martins (Departamento de Engenharia Elétrica), Sandro Souza (Instituto do Cérebro).

De acordo com a professora doutora Kerstin Erika Schmidt, vice-diretora do Instituto do Cérebro (Ice) da UFRN, a Semana do Cérebro tem como objetivo principal popularizar e aproximar a Neurociência da população, que embora interdisciplinar, é uma área de estudo relativamente recente. Segundo ela, essa aproximação acontece principalmente por duas vertentes: pelo próprio corpo do visitante, através de teste de visão, trabalhando com o corpo e os cinco sentidos; e através do estímulo provocado no aluno, com a apresentação de novos conhecimentos.

Para a vice-diretora do Ice, a Neurociência é bem divulgada no Brasil, muito embora isso acarrete demasiada expectativa na área. “Com grande divulgação, enxergam a Neurociência como a cura para todos os males, e não é assim. Ela não resolve os problemas da educação ou da economia, embora esteja diretamente relacionado a eles. É importante destacar o valor da pesquisa básica, vislumbrar cada descoberta como um detalhe de um grande mosaico”, disse. Kerstin Schmidt ainda observa que “uma coisa mal feita é uma coisa não feita; é necessário investir na pesquisa básica. O progresso é lento, mas necessário”.

Com atividades gratuitas abertas ao público, o evento recebeu a visita de diversas escolas do município de Natal. Para Victoria Silva, aluna do 4º ano da Escola São José, que visita pela primeira vez a Semana do Cérebro, o evento é “muito legal, uma experiência incrível”.

A professora Jeana Magalhães, diretora da Indústria do Conhecimento, destaca que eventos como a Semana do Cérebro “possibilitam aos alunos, neste caso os da zona leste de Natal, acesso a informações que eles não têm no cotidiano de aulas, ampliando seus conhecimentos”.

A 6ª Semana do Cérebro contou com o apoio da Equipe de Educação e Saúde do Distrito Sanitário Leste de Natal, que trabalha com a prevenção e promoção da saúde.

A ação em Natal faz parte do movimento mundial Brain Awareness Week (BAW), promovido pela Dana Foundation, que acontece toda segunda semana do mês de março, com o intuito de realizar uma campanha global para sensibilizar o público sobre a importância da pesquisa em Neurociências, além de divulgar estudos desenvolvidos pela Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SNEeC).

Aluno do EBEB/SESI/SENAI é aprovado em medicina

O aluno Arthur Lima Ribeiro, concluinte de 2016 do Projeto Educação Básica e Educação profissional (EBEB/SESI/SENAI), em Mossoró, foi aprovado em cinco Instituições no último Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para os cursos de Direito na Universidade Federal do Semiárido (UFERSA), Direito na Universidade Potiguar (UNP), Odontologia (FACENE), Ciências Naturais na Universidade de Brasília (UNB) e em Medicina também na UNP. “Eu me preparei estudando as matérias, revisando todas as noites, e também fiz um isolado de matemática”, disse Arthur.

Ele contou que depois do resultado se matriculou em Direito na UFERSA, mas que após a sua aprovação para participar do PROUNI, trancou o curso e se matriculou para fazer medicina na Universidade Potiguar. “Eu também fui aprovado em Engenharia Química pela Universidade Federal dos Pampas, mas optei por medicina que é meu sonho”, afirmou.

Para a Gerente de Educação do SESI, Karenine Medina, o aluno é um exemplo a ser seguido. “Arthur tem sido um diferencial como aluno para o SESI. Sua dedicação, sua atenção, estudo, realmente um exemplo. Toda a equipe de educação da Instituição está feliz e orgulhosa com esse resultado positivo”, enfatizou.

Em 2015, como aluno da 2ª série do Ensino Médio, Arthur ganhou medalha de bronze na XVI Olimpíada de Química do Rio Grande do Norte, desde então, vinha se dedicando a preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM 2016, pois já havia escolhido sua carreira profissional, seria Médico.

Vai começar a maior competição de robótica do Brasil

Mais de 700 competidores participam, em Brasília, da maior competição de robótica do Brasil: o Torneio Nacional de Robótica FIRST Lego League (FLL). A disputa, organizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI), reúne alunos de 9 a 16 anos, de escolas públicas e particulares, divididos em 74 equipes. O evento será realizado nos dias 17, 18 e 19 de março no SESI Taguatinga e é aberto ao público nos dias 18 e 19, das 9h às 17h, com entrada gratuita.

A cada ano, as equipes são desafiadas a buscar soluções inovadoras para questões sociais. Na temporada 2016/2017, o desafio Animais Aliados (Animal Allies) incentiva os alunos a apresentar ideias que tornem a relação entre homens e animais amistosa para ambos.

Com isso, quem passar pelo SESI Taguatinga verá, por exemplo, robôs de Lego cumprindo missões em uma mesa de competição. São apenas dois minutos e meio para realizar tarefas, como o resgate de animais em áreas de risco. Claro, tudo feito com peças de Lego. O bacana é que esses robozinhos são planejados, projetados e construídos pelos próprios alunos. Além das missões, o design deles também é avaliado pelos juízes. Assim, os estudantes colocam em prática tudo que aprenderam em sala de aula.

Cada equipe terá um estande. No espaço, elas vão apresentar os projetos de pesquisa que desenvolveram nos últimos meses com soluções inovadoras. Uma delas é um site que conecta voluntários e donos de animaizinhos com deficiência. Outra ideia é um aplicativo que pode ajudar no combate a doenças, como a febre amarela.

Mas não basta ter o melhor robô e o melhor projeto de pesquisa, é preciso saber trabalhar em equipe. Isso também será avaliado pelos juízes. Ao final, as melhores equipes ganham como prêmio a classificação para torneios internacionais de robótica. Neste ano, são 21 vagas para competições na Dinamarca, Austrália, Estados Unidos e Reino Unido. A classificação das 74 equipes para o torneio nacional, em Brasília, foi conquistada após disputas promovidas em 12 cidades, desde novembro do ano passado. Mais de 780 equipes participaram da fase regional.

FORMANDO OS PROFISSIONAIS DE AMANHÃ - Para o diretor de operações do SESI, Marcos Tadeu, a robótica vai de encontro ao que o jovem busca hoje em dia, que é colocar a mão na massa. “O torneio é mais do que um evento de robótica, faz parte de uma metodologia educacional. Ao inserir entre os estudantes o hábito de lidar com tecnologia, nós estamos preparando futuros engenheiros e outros profissionais para a indústria”, afirma.

Atualmente, cerca de 400 escolas do SESI de ensino fundamental e médio de todo o Brasil contam com o programa de robótica no currículo, independente da participação no torneio. Neste ano, o SESI completa cinco anos como operador oficial do Torneio de Robótica no país. Nesse período, foram quase 17 mil competidores de mais de 1.700 escolas brasileiras.

VEJA A PROGRAMAÇÃO:
18/03 (sábado)
9h - Visitação dos standes e competições
12h - Intervalo
13h - Continuidade das competições
17h - Encerramento da visitação

19/03 (domingo)
9h - Visitação dos standes e competições
12h - Intervalo
13h - Continuidade das competições
16h - Cerimônia de premiação
17h - Encerramento da visitação

Torneio Nacional de Robótica FIRST Lego League
Quando: 17*, 18 e 19 de março (*apenas para competidores)
Visitação pública: 18 e 19 (9h às 17h)
Onde: SESI Taguatinga (QNF 24 Área Especial - Taguatinga Norte)
ENTRADA GRATUITA

 

Por Sirlei Pires
Fotos: José Paulo Lacerda e Miguel Angelo / CNI
Da Agência CNI de Notícias

"

FIERN | SESI | SENAI | IEL

Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Korean Russian Spanish

Notícias - SESI

Indústria do Conhecimento (SESI/Rocas) sedia a 6ª Semana do Cérebro

O Instituto do Cérebro (ICe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promove de 13 a 17 de março, a 6ª Semana do Cérebro, com oficinas e palestras nos municípios de Natal e Lagoa de Pedras. Com a temática “Cérebros estudando cérebros”, as atividades são gratuitas e voltadas para todas as idades.

Nesta terça-feira (14), as oficinas aconteceram na Indústria do Conhecimento, Biblioteca Virgílio Urbano de Araújo, do SESI-RN, localizada no bairro das Rocas em Natal/RN, das 9h às 16h, sobre “Sentidos”, “Neuroanatomia” e “Drogas”, além de uma palestra sobre Zika vírus e microcefalia, com o palestrante Eduardo Sequerra. A programação teve sequência às 17 horas no Instituto Metrópole Digital (IMD), com palestras e mesa redonda sobre “Inteligência artificial a partir do filme Ex-Machina”, com os professores Izabel Hazin (Departamento de Psicologia), Allan Martins (Departamento de Engenharia Elétrica), Sandro Souza (Instituto do Cérebro).

De acordo com a professora doutora Kerstin Erika Schmidt, vice-diretora do Instituto do Cérebro (Ice) da UFRN, a Semana do Cérebro tem como objetivo principal popularizar e aproximar a Neurociência da população, que embora interdisciplinar, é uma área de estudo relativamente recente. Segundo ela, essa aproximação acontece principalmente por duas vertentes: pelo próprio corpo do visitante, através de teste de visão, trabalhando com o corpo e os cinco sentidos; e através do estímulo provocado no aluno, com a apresentação de novos conhecimentos.

Para a vice-diretora do Ice, a Neurociência é bem divulgada no Brasil, muito embora isso acarrete demasiada expectativa na área. “Com grande divulgação, enxergam a Neurociência como a cura para todos os males, e não é assim. Ela não resolve os problemas da educação ou da economia, embora esteja diretamente relacionado a eles. É importante destacar o valor da pesquisa básica, vislumbrar cada descoberta como um detalhe de um grande mosaico”, disse. Kerstin Schmidt ainda observa que “uma coisa mal feita é uma coisa não feita; é necessário investir na pesquisa básica. O progresso é lento, mas necessário”.

Com atividades gratuitas abertas ao público, o evento recebeu a visita de diversas escolas do município de Natal. Para Victoria Silva, aluna do 4º ano da Escola São José, que visita pela primeira vez a Semana do Cérebro, o evento é “muito legal, uma experiência incrível”.

A professora Jeana Magalhães, diretora da Indústria do Conhecimento, destaca que eventos como a Semana do Cérebro “possibilitam aos alunos, neste caso os da zona leste de Natal, acesso a informações que eles não têm no cotidiano de aulas, ampliando seus conhecimentos”.

A 6ª Semana do Cérebro contou com o apoio da Equipe de Educação e Saúde do Distrito Sanitário Leste de Natal, que trabalha com a prevenção e promoção da saúde.

A ação em Natal faz parte do movimento mundial Brain Awareness Week (BAW), promovido pela Dana Foundation, que acontece toda segunda semana do mês de março, com o intuito de realizar uma campanha global para sensibilizar o público sobre a importância da pesquisa em Neurociências, além de divulgar estudos desenvolvidos pela Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SNEeC).

Aluno do EBEB/SESI/SENAI é aprovado em medicina

O aluno Arthur Lima Ribeiro, concluinte de 2016 do Projeto Educação Básica e Educação profissional (EBEB/SESI/SENAI), em Mossoró, foi aprovado em cinco Instituições no último Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para os cursos de Direito na Universidade Federal do Semiárido (UFERSA), Direito na Universidade Potiguar (UNP), Odontologia (FACENE), Ciências Naturais na Universidade de Brasília (UNB) e em Medicina também na UNP. “Eu me preparei estudando as matérias, revisando todas as noites, e também fiz um isolado de matemática”, disse Arthur.

Ele contou que depois do resultado se matriculou em Direito na UFERSA, mas que após a sua aprovação para participar do PROUNI, trancou o curso e se matriculou para fazer medicina na Universidade Potiguar. “Eu também fui aprovado em Engenharia Química pela Universidade Federal dos Pampas, mas optei por medicina que é meu sonho”, afirmou.

Para a Gerente de Educação do SESI, Karenine Medina, o aluno é um exemplo a ser seguido. “Arthur tem sido um diferencial como aluno para o SESI. Sua dedicação, sua atenção, estudo, realmente um exemplo. Toda a equipe de educação da Instituição está feliz e orgulhosa com esse resultado positivo”, enfatizou.

Em 2015, como aluno da 2ª série do Ensino Médio, Arthur ganhou medalha de bronze na XVI Olimpíada de Química do Rio Grande do Norte, desde então, vinha se dedicando a preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM 2016, pois já havia escolhido sua carreira profissional, seria Médico.

Vai começar a maior competição de robótica do Brasil

Mais de 700 competidores participam, em Brasília, da maior competição de robótica do Brasil: o Torneio Nacional de Robótica FIRST Lego League (FLL). A disputa, organizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI), reúne alunos de 9 a 16 anos, de escolas públicas e particulares, divididos em 74 equipes. O evento será realizado nos dias 17, 18 e 19 de março no SESI Taguatinga e é aberto ao público nos dias 18 e 19, das 9h às 17h, com entrada gratuita.

A cada ano, as equipes são desafiadas a buscar soluções inovadoras para questões sociais. Na temporada 2016/2017, o desafio Animais Aliados (Animal Allies) incentiva os alunos a apresentar ideias que tornem a relação entre homens e animais amistosa para ambos.

Com isso, quem passar pelo SESI Taguatinga verá, por exemplo, robôs de Lego cumprindo missões em uma mesa de competição. São apenas dois minutos e meio para realizar tarefas, como o resgate de animais em áreas de risco. Claro, tudo feito com peças de Lego. O bacana é que esses robozinhos são planejados, projetados e construídos pelos próprios alunos. Além das missões, o design deles também é avaliado pelos juízes. Assim, os estudantes colocam em prática tudo que aprenderam em sala de aula.

Cada equipe terá um estande. No espaço, elas vão apresentar os projetos de pesquisa que desenvolveram nos últimos meses com soluções inovadoras. Uma delas é um site que conecta voluntários e donos de animaizinhos com deficiência. Outra ideia é um aplicativo que pode ajudar no combate a doenças, como a febre amarela.

Mas não basta ter o melhor robô e o melhor projeto de pesquisa, é preciso saber trabalhar em equipe. Isso também será avaliado pelos juízes. Ao final, as melhores equipes ganham como prêmio a classificação para torneios internacionais de robótica. Neste ano, são 21 vagas para competições na Dinamarca, Austrália, Estados Unidos e Reino Unido. A classificação das 74 equipes para o torneio nacional, em Brasília, foi conquistada após disputas promovidas em 12 cidades, desde novembro do ano passado. Mais de 780 equipes participaram da fase regional.

FORMANDO OS PROFISSIONAIS DE AMANHÃ - Para o diretor de operações do SESI, Marcos Tadeu, a robótica vai de encontro ao que o jovem busca hoje em dia, que é colocar a mão na massa. “O torneio é mais do que um evento de robótica, faz parte de uma metodologia educacional. Ao inserir entre os estudantes o hábito de lidar com tecnologia, nós estamos preparando futuros engenheiros e outros profissionais para a indústria”, afirma.

Atualmente, cerca de 400 escolas do SESI de ensino fundamental e médio de todo o Brasil contam com o programa de robótica no currículo, independente da participação no torneio. Neste ano, o SESI completa cinco anos como operador oficial do Torneio de Robótica no país. Nesse período, foram quase 17 mil competidores de mais de 1.700 escolas brasileiras.

VEJA A PROGRAMAÇÃO:
18/03 (sábado)
9h - Visitação dos standes e competições
12h - Intervalo
13h - Continuidade das competições
17h - Encerramento da visitação

19/03 (domingo)
9h - Visitação dos standes e competições
12h - Intervalo
13h - Continuidade das competições
16h - Cerimônia de premiação
17h - Encerramento da visitação

Torneio Nacional de Robótica FIRST Lego League
Quando: 17*, 18 e 19 de março (*apenas para competidores)
Visitação pública: 18 e 19 (9h às 17h)
Onde: SESI Taguatinga (QNF 24 Área Especial - Taguatinga Norte)
ENTRADA GRATUITA

 

Por Sirlei Pires
Fotos: José Paulo Lacerda e Miguel Angelo / CNI
Da Agência CNI de Notícias

Prev Next