string(65) "

Panorama Industrial do RN

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Norte pode ser estimado em R$ 37,764 bilhões (US$ 21,456 bilhões), tomando-se por referência o ano de 2012 e o PIB per capita em R$ 11.559 (US$ 6.567). No mesmo período, sua população correspondia a 3.228.198 habitantes, dos quais 78% viviam nas cidades.

A atividade industrial está especialmente localizada em três municípios, Natal, Parnamirim e Mossoró, que concentram 55% do PIB. Os dois primeiros estão situados na Região Metropolitana de Natal e o terceiro na Região Oeste do Estado.

A contribuição da indústria para a geração da riqueza econômica correspondia a 21,5% do PIB em 2010, o equivalente a R$ 6,1287 bilhões. Desse total, a Construção participa com 33%; a Indústria de Transformação com 32,5; as Indústrias Extrativas com 28,1%; e Eletricidade, Gás e Água (ou Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUPs), com 6,4%.

O universo industrial formalmente constituído do Rio Grande do Norte tem tamanho estimado em 7.056 empresas e 136.458 empregados, tomando-se por referência o Cadastro Industrial da FIERN, ano 2012.

As micro e pequenas empresas respondiam por 97,2% do total de estabelecimentos industriais e empregavam 36,7% da mão de obra do setor. Já as empresas de médio e grande porte correspondiam a 2,8% dos estabelecimentos e 62,4% do pessoal empregado em 2012.

Dentre as atividades industriais desenvolvidas em solo potiguar, as seguintes se destacam:

  • Indústria do petróleo (extração e refino, compreendendo GLP, Diesel e Querosene de Aviação – QAV e Gasolina Automotiva e a cadeia de suprimentos).
  • Extração e refino de sal marinho (maior produtor nacional).
  • Indústria têxtil e do vestuário (linhas, tecidos, modas masculina, feminina, infantil, íntima, praia e peças avulsas; uniformes e fardamentos; bordado industrial; bonés, chapéus e viseiras; roupa de cama e mesa, etc).
  • Indústria de alimentos (açúcar, castanhas de caju, balas, chicletes e pirulitos, panificação, laticínios, sucos e polpas de frutas).
  • Indústria de fabricação de produtos minerais não-metálicos (cerâmica estrutural para a construção civil, cimento, artefatos de concreto, mármores e granitos).
  • Extração de tungstênio, quartzo, caulim, gemas (turmalinas, águas marinhas, ametistas, esmeraldas) e minério de ferro.
  • Energias renováveis – geração eólica (um dos maiores potenciais do Brasil).
A geração eólica é uma das principais fontes de atração de investimentos para o estado no momento.
"

FIERN | SESI | SENAI | IEL

Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Korean Russian Spanish

Competitividade

Panorama Industrial do RN

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Norte pode ser estimado em R$ 37,764 bilhões (US$ 21,456 bilhões), tomando-se por referência o ano de 2012 e o PIB per capita em R$ 11.559 (US$ 6.567). No mesmo período, sua população correspondia a 3.228.198 habitantes, dos quais 78% viviam nas cidades.

A atividade industrial está especialmente localizada em três municípios, Natal, Parnamirim e Mossoró, que concentram 55% do PIB. Os dois primeiros estão situados na Região Metropolitana de Natal e o terceiro na Região Oeste do Estado.

A contribuição da indústria para a geração da riqueza econômica correspondia a 21,5% do PIB em 2010, o equivalente a R$ 6,1287 bilhões. Desse total, a Construção participa com 33%; a Indústria de Transformação com 32,5; as Indústrias Extrativas com 28,1%; e Eletricidade, Gás e Água (ou Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUPs), com 6,4%.

O universo industrial formalmente constituído do Rio Grande do Norte tem tamanho estimado em 7.056 empresas e 136.458 empregados, tomando-se por referência o Cadastro Industrial da FIERN, ano 2012.

As micro e pequenas empresas respondiam por 97,2% do total de estabelecimentos industriais e empregavam 36,7% da mão de obra do setor. Já as empresas de médio e grande porte correspondiam a 2,8% dos estabelecimentos e 62,4% do pessoal empregado em 2012.

Dentre as atividades industriais desenvolvidas em solo potiguar, as seguintes se destacam:

  • Indústria do petróleo (extração e refino, compreendendo GLP, Diesel e Querosene de Aviação – QAV e Gasolina Automotiva e a cadeia de suprimentos).
  • Extração e refino de sal marinho (maior produtor nacional).
  • Indústria têxtil e do vestuário (linhas, tecidos, modas masculina, feminina, infantil, íntima, praia e peças avulsas; uniformes e fardamentos; bordado industrial; bonés, chapéus e viseiras; roupa de cama e mesa, etc).
  • Indústria de alimentos (açúcar, castanhas de caju, balas, chicletes e pirulitos, panificação, laticínios, sucos e polpas de frutas).
  • Indústria de fabricação de produtos minerais não-metálicos (cerâmica estrutural para a construção civil, cimento, artefatos de concreto, mármores e granitos).
  • Extração de tungstênio, quartzo, caulim, gemas (turmalinas, águas marinhas, ametistas, esmeraldas) e minério de ferro.
  • Energias renováveis – geração eólica (um dos maiores potenciais do Brasil).
A geração eólica é uma das principais fontes de atração de investimentos para o estado no momento.