Acesso a crédito é debatido em reunião da FIERN com Caixa Econômica Federal

10/03/2021   17h45

 

A melhoria no acesso ao crédito para retomada da economia foi defendida pelo presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo, em reunião virtual com superintendente regional da Caixa no Rio Grande do Norte, Fares Haum Júnior, executivos da CEF no Rio Grande do Norte, Francisco Braga Barbosa e Glenn de Brito Cunha, na tarde desta quarta-feira (9). Também participaram da reunião, o superintendente regional do SESI/RN, Juliano Martins, o diretor regional do SENAI/RN, Emerson Batista, e o responsável técnico pelo Núcleo de Apoio ao Crédito (NAC/FIERN), Luiz Henrique Guedes.

 

Amaro Sales destacou que, sobretudo com o cenário de dificuldade e incertezas que as empresas industriais estão enfrentando com a crise gerada com a pandemia, que tem se agravado com a última cepa do coronavírus, é necessário facilitar o acesso ao crédito para que mais empresários possam manter suas operações e volta a investir para fazer a economia se recuperar. “Não existe uma indústria forte, sem um comércio e economia fortes. E para isso é preciso crédito”, disse.

 

O presidente da FIERN propôs a realização de uma live com a participação de diretores e presidentes de Sindicatos filiados para apresentação do portfólio de serviços e condições oferecidas pela CAIXA.

 

 

O encontro, proposto pela instituição financeira, busca, segundo o superintendente Fares Haum Júnior, estreitar relacionamento com a Federação, SESI, SENAI e IEL, para promover maior aproximação com o empresariado, bem como firmar parcerias comerciais a partir da identificação de demandas do setor.

 

O superintendente da Caixa apresentou linhas de crédito e produtos da Caixa Econômica Federal e fez um balanço do que foi realizado pela instituição, no Rio Grande do Norte, ao longo de 2020. Somente em Auxílio Emergencial, foram R$ 3,6 bilhões em benefícios que alcançaram 1,3 milhão de pessoas. Em 2020, a Caixa emprestou R$ 300 milhões para empresas e, em habitação, foram cerca de R$ 500 milhões no ano.

 

Ainda focado no enfrentamento da pandemia, Fares Haum lembrou que, durante seis meses, a Caixa pausou contratos de financiamentos, como também os prazos de carência.

 

Juliano Martins, superintendente regional do SESI/RN, destaca que, dentro da prestação de serviços do SESI em Saúde e Segurança no Trabalho, o setor empresarial relata dificuldades no fluxo de caixa e de acesso a crédito para contratar os serviços. “Temos mapeadas em nosso banco de dados 7.900 indústrias cadastradas e temos capilaridade de atendimento nos 167 municípios do estado, se tivermos como facilitar o crédito para contratação ou mesmo inserir produtos como crédito para o mercado, teremos como auxiliar as empresas”, afirma.

 

O diretor regional do SENAI/RN, Emerson Batista, explicou a atuação do SENAI nas áreas de educação, aprendizagem e consultoria às empresas. Nesta última, citou o caso das oficinas de costura do programa Pró-Sertão que tinha dificuldades de manter o acompanhamento da produção devido ao acesso a recursos e linhas de financiamento. “Tendo como conhecermos melhor as linhas poderemos informar quais podem ser contratadas para continuidade dos serviços e contribuir, nesse momento difícil, para a recuperação da economia”, disse.

 

O gerente do Centro Internacional de Negócios da FIERN, Luiz Henrique Guedes, lembrou de parceria firmada via NAC e a Caixa Econômica Federal para acesso a linhas de créditos, com redução de taxas para empresas vinculadas ao Sistema Indústria, e que está sendo retomada.

 

Por Sara Vasconcelos, Unicom/FIERN