Amaro Sales participa de reunião da CNI que reúne propostas da indústria contra a crise

7/04/2021   11h31

 

O presidente da Federação da Indústria do Rio Grande do Norte (FIERN), Amaro Sales, participou na manhã desta terça (06), da reunião de diretoria da Confederação Nacional da Indústria (CNI) – da qual é 1º diretor secretário – em que se discutiram as propostas do setor industrial pela recuperação econômica do país.

 

 

Na ocasião, foi apresentado pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, o documento Vencer a Crise e Voltar a Crescer (Abril/2021) – Propostas da Indústria para o Brasil, que consolida uma série de reivindicações da indústria brasileira para manter empregos, preservar o capital de giro para as empresas e adiar ou reduzir despesas tributárias ou financeiras, entre outras frentes pela recuperação econômica. O documento foi enviado para cada Federação, que poderá incluir novas contribuições.

 

 

“Além da prorrogação do auxílio financeiro às famílias, que já foi providenciado pelo Governo e pelo Congresso, é fundamental que sejam reeditadas também medidas para ajudar garantir a sobrevivência das empresas e a manutenção de empregos”, diz o teor do documento. “E é preciso que tais ações, que se mostraram eficientes no ano passado, sejam reimplantadas urgentemente”, reforça a CNI.

 

Entre as medidas que a indústria defende como necessárias, de imediato, para a manutenção dos empregos estão: a reedição do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda e adoção de medidas que permitam adaptações imediatas de rotinas pelas empresas para a retomada do emprego, da produção e da produtividade. Já no que se refere à redução de despesas tributárias, estão entre as propostas o adiamento do pagamento dos tributos federais; a suspensão do pagamento de parcelas de programas de refinanciamento de dívidas com a União; o adiamento do pagamento de financiamentos públicos, entre outros.

 

Na relação de propostas para prover capital de giro para as empresas, a CNI pede o reestabelecimento do Pronampe e a facilitação das operações de crédito para empresas em situação de recuperação judicial. Na parte de redução de custos de regulação e conformidade, estão entre as propostas prorrogar o prazo de vencimento das Certidões Negativas de Débitos (CNDs); flexibilizar regras do processo administrativo tributário; prorrogar as licenças de importação e prazos processuais na área ambiental, entre outros.

 

 

O presidente Amaro Sales destaca que a reunião discutiu ainda uma agenda pelo desenvolvimento do país, englobando medidas ansiadas há anos pelo setor produtivo em áreas como política fiscal, financiamento, meio ambiente, infraestrutura, inovação, relações do trabalho e comércio exterior. “É uma agenda de fundamental importância para o país, que as federações, junto à CNI, estão construindo como uma contribuição para esse momento que enfrentamos”, ressalta.