Combustível está caro? Veja 5 dicas do SENAI para você economizar gasolina

11/03/2022   16h33

 

Com mudanças constantes no preço da gasolina (sempre pra cima, diga-se de passagem), os brasileiros estão em busca de qualquer tipo de solução para economizar. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) tem algumas dicas práticas na direção e na manutenção do veículo que podem melhorar a eficiência no consumo de combustível e salvar preciosos reais.

 

Nunca colocar a quinta marcha numa velocidade menor do que 60km/h é uma das sugestões do instrutor do curso de Mecânica Automotiva do SENAI de Campo Grande/MS, Iwan Garcia. O especialista elencou cinco dicas para que os motoristas economizem gasolina e abasteçam com menos frequência. Confira a seguir:

 

1. Escolha carro 1.0 para andar na cidade

 

Motores mais potentes significam carros mais potentes. No entanto, carros com motor 1.0 são mais econômicos na cidade, onde não é necessário usar velocidades muito altas.

 

“Já para quem dirige na estrada, os motores mais indicados são 1.4 e 1.6, que são mais econômicos, porque atingem uma velocidade maior num curto espaço de tempo. No entanto, os motores 2.0 nunca são indicados se a intenção é economizar gasolina, pois são muito grandes e consomem bem mais combustível”, afirmou Garcia.

 

2. Procure manter a mesma velocidade ao longo do trajeto

 

Segundo o instrutor do SENAI, a marcha mais econômica a ser utilizada no carro é a quinta, mas muitas vezes só é possível usá-la em rodovias ou em vias expressas. “A velocidade econômica depende de cada veículo, pois é baseada na rotação de torque máximo do motor, que varia entre as marcas, mas a média costuma ser entre 90 e 110 km/h”, explicou.

 

No perímetro urbano, o aconselhável é buscar uma velocidade constante dentro do maior tempo possível e nunca colocar a quinta marcha numa velocidade menor do que 60 km/h.

 

“É mais difícil manter uma velocidade constante dentro da cidade, porque há semáforos, quebra-molas e ruas preferenciais, mas aqueles que arrancam o carro com tudo assim que o sinal fica verde para frear logo em seguida realmente costumam gastar mais gasolina”, destaca Iwan.

 

Vidros abertos ou ar condicionado ligado gastam gasolina da mesma forma, por isso, escolha a opção mais confortável para você

3. Entre ar condicionado e vidros abertos, escolha o mais confortável

 

Ligar ou não ligar o ar-condicionado do carro? Se o questionamento envolve apenas a dúvida sobre o consumo de gasolina, escolha o que é mais confortável.

 

Isso porque o ar condicionado ligado realmente consome mais gasolina, principalmente em veículos de motor 1.0, que na cidade apresentam um consumo maior entre 7% e 10%. No entanto, dirigir com as janelas do carro abertas faz com que o consumo de gasolina seja praticamente o mesmo.

 

“Com os vidros abertos, entra mais ar, causando o que chamamos de arrasto aerodinâmico, ou seja, o carro acaba ficando mais pesado e, por isso, acaba consumindo mais gasolina. Então dirigir com os vidros fechados e o ar desligado é uma dica boa para os dias frios. No calor, o motorista pode escolher o que é mais confortável, porque entre vidros abertos e ar ligado, o consumo de gasolina será praticamente o mesmo”, detalhou o instrutor.

 

4. Faça a manutenção regular do seu carro

 

Trocar as velas de ignição a cada 20 mil quilômetros rodados, o filtro de ar e o combustível do motor a cada 15 mil quilômetros e manter a limpeza dos bicos injetores são boas formas de economizar gasolina.

 

“No Brasil, temos de 22% a 24% de álcool anidro na gasolina e o álcool hidratado com 5% de água. O álcool suja bastante o sistema de alimentação do motor, aumentando o consumo de combustível”, explica.

 

5. Faça a calibragem regular do pneu

 

Não troque os pneus por outros com diâmetros diferentes
Não troque os pneus por outros com diâmetros diferentes

 

“Já percebeu que pneus mais murchos deixam a direção mais pesada? É porque o atrito com o asfalto é maior e é preciso de mais força, logo, mais combustível, para fazer com que o carro ande”, ressalta Iwan Garcia, que indica calibragem do pneu semanalmente, geralmente entre 28 e 30 PSI.

 

E se o assunto é pneu, o instrutor também não recomenda trocá-los por outros de medidas diferentes. “Também é fundamental fazer regularmente o alinhamento e o balanceamento das rodas”, disse.