Deputado apresenta na FIERN projeto para ampliar desenvolvimento do setor de confecções no Rio Grande do Norte

11/10/2019   11h55

 

O presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, recebeu nesta sexta-feira, 11, na Casa da Indústria, o deputado federal Benes Leocádio (Republicanos), que apresentou o projeto para instalação dos Centros de Cortes de Confecções e de galpões para capacitação de mão de obra e apoio ao setor no Rio Grande do Norte. A ideia é melhorar as condições de funcionamento das pequenas unidades de produção, no Estado, que, assim, poderão ampliar suas atividades. Também participaram da reunião o presidente da Associação Seridoense de Confecções (Asconf), Zeca Araújo; e um dos diretores da entidade, Ronaldo Lacerda.

 

“É muito importante a participação do deputado nesta reunião, junto com representantes da associação das oficinas de confecções, do SENAI e da Federação. Como ficou claro, defendemos o emprego e o setor têxtil e de confecções tem amplo potencial neste sentido. A FIERN, assim, reafirma que o estado possui grandes possibilidade de se desenvolver ainda mais neste segmento”, destacou Amaro Sales.

 

Ele acrescentou, durante a reunião com o parlamentar e os diretores da Associação, que serão feitas as análises e estudos técnicos para se identificar como o projeto poderá ser articulado com as diversas instituições que possam colaborar no projeto. “Claro que deve ser feita uma combinação de relacionamento entre o SENAI, as demais entidades que podem participar e o governo do estado para que tenhamos, neste programa, a contribuição das instituições e a qualificação profissional necessária, com a colaboração da bancada, das emendas parlamentares e também dos órgãos governamentais”, disse.

 

O presidente da FIERN lembrou que o SENAI já tem programas de qualificação profissional voltados ao setor, com o Centro de Educação e Tecnologia Clóvis Motta, que desenvolve pesquisas e projetos de inovação de produtos e processos.

 

 

Benes Leocádio explicou que a ideia é ampliar a cadeia produtiva formada pelas oficinas de confecções que hoje já tem uma atividade, principalmente na região do Seridó. “Ao lado da Construção Civil, este é um segmento que mais gera emprego e renda com rapidez, isso poderá ter um novo impulso se se o poder público e a inciativa privada se unirem”, afirmou.

 

O deputado integra a Frente Parlamenta da Indústria Têxtil no Congresso Nacional e afirma que o Estado tem potencial para ser um dos principais produtores do país neste segmento. Para evitar que a falta de investimentos trave esse crescimento, a intenção é que, por intermédio das emendas impositivas de bancada ao orçamento da União, garantir os recursos necessários à instalação de galpões no interior do Estado para novas oficinas de confecções.

 

Ao mesmo tempo, a proposta envolve firmar novas parcerias com o SENAI, para aumentar a quantidade de trabalhadores que passem por qualificação profissional nesta área. E, com instituições financeiras, de crédito para assegurar a aquisição de máquinas e equipamento pelas empresas. Ao final, também seria articulada a comercialização junto as grandes empresas do setor. “Com isso a cadeia produtiva estaria consolidada na sua ampliação, no que já é comprovadamente um sucesso, porque há pelo menos cinco mil pessoas trabalhando nesta área no estado, e, quem sabe, não pode ir para dez ou quinze mil em dois anos”, ressalta Benes Leocádio.

 

Os empresários confirmam o potencial desses projetos. “Isso seria uma forma de ampliar a cadeia têxtil. Hoje há uma concentração no corte, mas com as centrais de cortes teriam novas possibilidades”, afirma Ronaldo Lacerda. “A partir do momento que tivermos essas novas estruturas, daremos condições de mais empresas se instalarem e de conquistarmos novos clientes, porque poderíamos entregar as peças prontas”, disse Zeca Araújo.