FIERN discute oportunidades de negócios do onshore brasileiro

26/11/2020   10h29

 

O terceiro dia do evento Mossoró Oil & Gas Expo foi marcado por importantes discussões acerca do mercado de petróleo e gás. Dois painéis elevaram à discussão sobre esse assunto. Um deles foi o Novo Mercado de Gás, que previu que a oferta de gás deverá sextuplicar no RN em 10 anos. O outro foi Oportunidade de Negócios do Onshore, que contou com a participação do diretor da FIERN, Marcelo Rosado.

 

“A questão do petróleo e gás para a nossa região é muito importante, uma vez que nós temos um estado com queda de receita, de alta taxa de desemprego e num contexto de saída da Petrobrás do RN. Cabe a nós transformamos isso numa oportunidade de sair da crise e gerar riqueza para o nosso estado. Esse trabalho de reestruturação que está sendo feito no mercado do petróleo e gás é muito importante, e eu quero agradecer ao presidente da FIERN, Amaro Sales, por nos espelhar. Esse trabalho feito no RN pode ser exemplo para outros estados”, avaliou.

 

 

“Nós temos um protagonismo, uma liderança do petróleo onshore. Nós sabemos que 95% dos poços no RN são em terra. Além disso, dos mais de oito mil poços, nós temos mais três mil com condição de produzir. Então, isso é muito importante para que nós possamos ver esse cenário como oportunidade. A ideia de atrair parceiros internacionais para se unir a nossa cadeia nacional é da maior importância para que a gente consiga ganhar tempo e se gerar emprego e renda”, acrescentou o diretor da FIERN.

 

Além de Marcelo Rosado, o painel contou ainda com a participação de Karine Fragoso (Organização Nacional da Indústria do Petróleo – ONIP), Anabal Santos (Associação Brasileira dos Produtores Independentes (ABPIP), Fernanda Delgado e Carlos Padilha.

 

Os painéis foram virtuais, transmitidos de Mossoró para os participantes do evento Brasil e mundo afora, pela plataforma Eventmobi e pelo canal do evento no YouTube.

 

Crescimento do petróleo e gás no RN

Nos próximos dez anos, a oferta de gás natural no Rio Grande do Norte deverá sextuplicar (+546%) e a produção de petróleo, triplicar (+35%), com aumento de 77% da produção terrestre. A previsão é da diretora de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Heloísa Borges Esteves, feita no Mossoró Oil & Gas Expo (Moge), nesta quarta-feira (25).

 

O crescimento no Estado, segundo ela, acompanhará a ampliação do mercado nacional. “Em dez anos, o Brasil irá praticamente duplicar sua oferta nacional de gás natural (+83%). O Nordeste, por outro lado, terá quatro vezes mais oferta de gás do que atualmente (+288%)”, previu, no painel Novo Mercado de Gás, que integrou a programação do terceiro dia do Moge.

 

Em termos de investimentos, a diretora da EPE estima dezenas de bilhões a serem investidos no setor de óleo e gás em todo o Nordeste, na próxima década. As estimativas são baseadas em dados técnicos da EPE, que presta serviços ao Ministério de Minas e Energia (MME) no planejamento do setor energético.