FIERN divulga Síntese do Novo Caged para o mês de abril

1/06/2020   10h34

 

A divulgação da base de dados do CAGED foi interrompida pelo Ministério da Economia desde janeiro, após a entrada em vigor do eSocial. Com a mudança, muitas empresas deixaram de informar os números em sua completude. Enquanto o novo Sistema se encontra em transição, os dados fornecidos estão sendo imputados de outras fontes e disponibilizados de forma simplificada e limitada. É possível que estes venham a ser ajustados e ampliados após a normalização da nova base.

 

No que diz respeito ao Rio Grande do Norte, o novo arranjo resultou em uma defasagem significativa entre o total de empregados que projetamos projetado para o final de dezembro de 2019 na base antiga (598.141) e o estimado pelo Novo CAGED (427.616).

 

Principais resultados

Os dados do Novo CAGED revelam retração no emprego com carteira nos quatro primeiros meses de 2020. No caso do Rio Grande do Norte, trata-se de um período de baixa sazonal, relacionado às dispensas de mão de obra decorrentes do fim do corte e moagem da cana de açúcar e da safra de frutas. Mas a partir de março, os dados mostram também o impacto das medidas de distanciamento social adotadas em todo o Brasil, a partir da última semana do mês, como forma de evitar o contágio da Covid-19. Como as quarentenas prevalecem, no mês de abril, as dispensas de empregados se intensificaram acima da média histórica para o período.

 

Ou seja, foram cortadas 8.303 vagas no mês, o maior volume de cortes, tomando-se por base a série iniciada em 2004, conforme mostrado na segunda tabela. Tal comportamento se repetiu na indústria, que dispensou 1.603 empregados.

 

No acumulado do ano até abril, o estado fechou 14.550 vagas de emprego com carteira assinada. Com base no movimento do ano, o Novo Caged projeta o total de pessoas ocupadas com vínculo formal em 413.066.

 

O comportamento de abril observado no Rio Grande do Norte se repetiu no Nordeste, onde foram encerrados 126.834 contratos de trabalho em abril, acumulando 191.729 vagas a menos nos primeiros quatro meses do ano, e no conjunto do país, com cortes de 860.503 e 812.217 vagas respectivamente.

 

Acesse aqui o documento na íntegra: https://www.fiern.org.br/wp-content/uploads/2020/06/GED.CITSMART.REC_FROM_GED_2878.pdf