Indústria registra recuperação em janeiro

12/03/2020   11h21

O mês de janeiro foi positivo para indústria brasileira, após um último bimestre de 2019 de resultados em sua maioria negativos. É o que revelam os Indicadores Industriais da Confederação Nacional da Indústria (CNI). No primeiro mês do ano, todos os índices da publicação registraram alta. Destaque para a elevação do faturamento real em 1,5%, que reverte a queda acumulada no último bimestre de 2019 e reposiciona o indicador em trajetória ascendente.

 

As horas trabalhadas na produção aumentaram 1% frente a dezembro de 2019, já considerando a correção sazonal, e a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) atingiu 78%, uma alta de 0,4 ponto percentual em comparação com dezembro. Os demais indicadores – emprego, massa salarial e rendimento médio real – registraram crescimentos mais modestos.

 

“Apesar do bom resultado de janeiro, a indústria segue enfrentando dificuldades para entregar um crescimento significativo”, pontua a publicação mensal da CNI. “Faturamento real e UCI mostram tendência gradual de recuperação; horas trabalhadas e emprego permanecem praticamente inalterados há anos; enquanto a massa salarial e rendimento real exibem tendência de queda”, completa o documento.

 

Depois de dois meses negativos, todos os Indicadores Industriais registraram alta em janeiro

 

FATURAMENTO – Em 2019, o faturamento cresceu por cinco meses até outubro, quando teve dois meses de baixa. O dado de janeiro de 2020 é 3,2% superior ao registrado no mesmo mês do ano anterior.

 

HORAS TRABALHADAS E EMPREGO – A alta de 1% desconsiderando o impacto da sazonalidade nas horas trabalhadas mantém o indicador ao mesmo patamar em que ele tem oscilado nos últimos três anos. O dado de janeiro é 0,2% negativo em relação ao mesmo mês de 2019. O movimento próximo à estabilidade também é observado no emprego industrial que, com um aumento de 0,2%, não conseguiu se descolar do patamar em que ele tem oscilado desde o início de 2017.

 

MASSA SALARIAL E RENDIMENTO – Os indicadores que tratam dos valores recebidos pelos trabalhadores registraram quedas na comparação com janeiro de 2019. Apesar de ter crescido 0,4% na comparação com dezembro, a massa salarial ficou 2,2% menor que a registrada em janeiro de 2019. Movimento similar pode ser observado no rendimento médio, que variou positivamente em 0,2% em relação a dezembro, mas caiu 1,9% na comparação com o primeiro mês do ano anterior.