Investimentos privados impulsionam economia

3/01/2022   14h34

 

Uma série de operações e investimentos podem alavancar a economia do Rio Grande do Norte em 2022, segundo avaliam interlocutores de diversos setores econômicos contatados pela Tribuna do Norte. A revisão do Plano Diretor de Natal, aprovada pela Câmara dos Vereadores no final do ano, também é outra perspectiva para 2022.

 

 

Segundo o presidente das Federações Industrias do Estado do RN (Fiern), Amaro Sales, a revisão do PDN pode ser vista como uma possibilidade de investimentos em Natal em 2022. “Poderemos ver nos próximos anos uma Natal requalificando seus espaços, utilizando de forma mais estratégica seus ativos, mantendo preservação ambiental (fundamental para nossos atrativos turísticos) e impulsionando a construção de novas moradias e a vinda de novos moradores para a Capital”, aponta.

 

 

O setor de energia eólica deve seguir como um dos principais investidores no Rio Grande do Norte. De acordo com o presidente do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE/RN), Darlan Santos, a estimativa é de que 60 parques se instalem em terras potiguares até 2029.
“O setor eólico é um dos pilares da economia do Estado, porque além dos investimentos diretos na instalação do projeto, e estamos falando de bilhões de reais investidos ao longo desses anos. É uma atividade que vai na contramão pois estamos com fortes índices de desempregos”, cita. De acordo com dados do Cerne, serão investidos R$ 3,3 bilhões em 2022 no setor e R$ 6,4 bilhões até 2029.

 

 

A capacidade instalada na energia eólica deve superar os 12 gigawatts (GW) no final de 2025, segundo a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec-RN). Segundo Darlan Santos, mesmo na dianteira em termos de potência atualmente, o RN naturalmente será ultrapassado pela Bahia futuramente, estado que possui capacidade territorial maior. Porém, a possibilidade de expansão no mar (off shore) anima o segmento. O RN já iniciou estudos para o primeiro off shore do Brasil.

 

 

“No RN, temos muitas áreas a desenvolver em terra e vamos acrescentar a esses números os projetos que vão entrar em mar. Isso vai novamente impulsionar o Estado no setor”, acrescenta.

 

 

Nacionalmente, de acordo com estimativas da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), entidade que reúne cerca de cem empresas desse setor industrial, incluindo fábricas de aerogeradores, de pás eólicas, operadoras de parques eólicos, investidores e diversos fornecedores da cadeia produtiva, a expectativa é que os investimentos do setor alcancem R$ 30 bilhões só em 2022. Outros dois investimentos já aprovados e com perspectivas de implementação também podem gerar emprego e renda para o RN em 2022. Um deles é o arrendamento do Terminal Salineiro de Areia Branca (Tersab), por R$ 100 mil, com perspectivas de investimentos da ordem de R$ 164 milhões ao longo desse período.

 

 

A outra operação é a negociação para a venda de US$ 1 bilhão em ativos da Petrobras à 3R Petroleum. A venda inclui 26 campos de petróleo, além da Refinaria Clara Camarão. Fazem parte os sub-clusters de Canto do Amaro, Alto do Rodrigues e Ubarana. A expectativa é que a operação por parte da 3R se inicie no segundo semestre de 2022.

 

 

*Matéria produzida e publicada pelo jornal Tribuna do Norte