NAC-FIERN orienta empresários sobre Pronampe e linhas de crédito

14/10/2020   15h42

 

O Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC) prossegue com o atendimento disponível para orientação e consultoria aos empresários interessados em obter financiamentos para atividades produtivas. O atendimento está sendo oferecido online pelo www.nac.cni.com.br ou pelo telefone 3204 6154. O NAC atende ao setor empresarial e oferece serviço de informações sobre o crédito, por equipe qualificada, com vistas à aproximação entre demanda e oferta de financiamentos.

 

Trata-se de uma Rede, coordenada e apoiada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). O modo de atuação em rede permite o compartilhamento de conhecimentos existentes em cada estado e uma ação homogênea no país. Além dos atendimentos às empresas, há a divulgação de oportunidades de crédito, distribuição de material informativo, realização de cursos, palestras e seminários em temas relacionados à gestão financeira e crédito e financiamento.

 

PRONAMPE

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, deu aval para uma terceira fase do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), formulado para socorrer pequenos negócios durante a crise da covid-19.  O programa de financiamento terá mais R$ 10 bilhões neste ano. Apesar disso, congressistas ligados ao setor pedem mais e querem que o programa se torne permanente.

 

O Pronampe, lançado em maio, a União destinou R$ 15,9 bilhões na primeira fase e outros R$ 12 bilhões na segunda fase do financiamento. O financiamento é condicionado a uma taxa equivalente à Selic, hoje em 2% ao ano, mais 1,25% sobre o valor concedido, com prazo de 36 meses para pagar – na prática, condições mais vantajosas em comparação a outras linhas de financiamento.

 

O Ministério da Economia não prevê a continuidade dos repasses para o próximo ano. O Senado tentou aprovar propostas legislativas para abastecer o programa em 2021, mas ainda não houve acordo com o governo. Na lei, o Pronampe foi desenhado para ser permanente. A continuidade do financiamento, porém, depende do aporte de novos recursos. Sem espaço para aumentar gastos, o governo pediu mais tempo para negociar com os parlamentares.

 

Com informações do Ministério da Economia

Atualização JoLopes – Unicom FIERN