“Produto Potiguar” faz avaliação de Aproximação Comercial realizada em São Paulo

3/12/2018   18h29

 

A inserção de produto genuinamente potiguar no mercado paulista foi exaltada por representantes de empresas que integram o “Produto Potiguar”, nesta segunda-feira (03), na Casa da Indústria, durante reunião de avaliação de resultados da etapa de Aproximação Comercial, realizada no dia 22 de novembro, em São Paulo. Os empresários destacaram facilidades e vantagens alcançadas por meio do projeto – alguns deles com negócios já fechados com empresas paulistas -, bem como puderam sugerir novas rodadas e sobretudo a continuidade do projeto.

 

Idealizado pela FIERN e Sebrae-RN, o programa em caráter piloto reuniu 20 empresas e permitiu a inserção no mercado paulista de produtos norte-rio-grandenses de alto padrão e com valor agregado – diferenciados dos que já são comercializados naquele estado. O programa tem subsídio de 50% do Sebrae, 30% da FIERN e 20% de contrapartidas das empresas participantes. O presidente Amaro Sales de Araújo foi representado na reunião de hoje (03) na Casa da Indústria pelo superintendente de relações institucionais, Hélder Maranhão.

 

Empresas como a Cimsal, produtora da flor de sal, fechou contrato de vendas com grandes redes de supermercados e empórios de alto padrão, como a St. Marche e o Eataly, que já estão com a mercadoria em gôndolas e prateleiras. “Este era um plano da empresa que foi atingindo graças ao projeto, que facilitou essa inserção”, disse o gerente de marketing, Roberto de Freitas. A Aqcua Coco, segundo revelou o proprietário Diogo Gaspar, também já enviou a primeira remessa de compotas de coco verde e água de coco, após o encontro em São Paulo, para empresa em Guarulhos e está em negociação com distribuidoras.

 

Mesmo quem não fechou vendas destaca a participação no projeto, como o empresário Alysson Holanda, da Cervejaria Holanda, que conta que além de adequar o produto, repensou a estratégia de ampliar o portfólio com cervejas a partir de frutas regionais.

 

 

Ivanaldo Barreto, da Coco&Cia e diretor da FIERN, destaca que sem o projeto seria difícil para pequenas e médias empresas conseguirem competir e chegar a um mercado de tamanha relevância, como o de São Paulo. “O encontro foi muito produtivo no sentido de facilitar a entrada em um dos maiores e mais importantes mercados consumidores do país”, destaca. Para o empresário Ricardo Valença, da Polpa Bom-Fruit e presidente do SINDIFRUTAS/RN, o evento abre a oportunidades para novos negócios.

 

O gerente da Unidade de Acesso a Mercado do Sebrae-RN, David Gois, destaca que além de permitir a entrada em novos mercados, o projeto atingiu o objetivo de aumentar a competitividade das empresas participantes para ingressar em qualquer mercado do país. Também participaram pelo Sebrae, a gerente da Unidade da Indústria, Lorena Roosevelt, a analista do SEBRAE-RN Jéssica Barros e a consultora Ana Raquel.

 

As empresas potiguares que estão no “Projeto Produto Potiguar” são a Cachaça Samanaú, Cachaça Extrema, Cachaça Pátria Amada, Pão Petrópolis, Aquamar Camarões, Azeite KORU, Grão Massas e Biscoitos, Bom Demais – Polpa de Frutas, Cerveja Bacurim, Cerveja Holanda, Temperos SADIO, Polpa Bom-Fruit, AquaCoco, Produto Primor, CIMSAL, Do Trigo, Leite CLAN, Terra Doce, Phytoactive, Empório do Licor e Coco & Companhia.

O Projeto foi lançado em abril deste ano, com o objetivo de ampliar o mercado consumidor de produtos das empresas do Rio Grande do Norte. O Sistema FIERN e o SEBRAE-RN firmaram convênio, neste programa, para prospecção e abertura de mercado em São Paulo.