SENAI-RN estará integrado com metas no programa Brasil Mais

21/02/2020   14h38

O SENAI-RN estará integrado, com metas de atendimento a empresas que aderirem ao programa Brasil Mais, que vai ser, nacionalmente, coordenado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). A execução de atendimentos no eixo de melhores práticas industriais caberá ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e os atendimentos no eixo de melhores práticas gerenciais ao Serviço Brasileiro de Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Para o Estado, o objetivo é tender 737 empresas industriais por intermédio do SENAI-RN até 2022. No Rio Grande do Norte, o programa também beneficiará estabelecimentos de outros setores por intermédio do Sebrae.

 

Para cumprir essa meta o SENAI-RN está capacitando dez consultores para atuar na metodologia que será aplicada neste programa. No Rio Grande do Norte, serão 527 atendimentos na metodologia “Mentoria Lean” e 210 na “Mentoria Digital”. “O Brasil Mais é voltado diretamente às linhas tecnológicas das empresas, com o objetivo de tornar a empresa cada vez mais eficaz e competitiva com o menor custo possível. Para isso, é feito alinhamento de processos, seja na linha produção ou na capacitação dos profissionais que atuam na indústria, ou mesmo na melhoria de processos e otimização no uso de equipamentos, além de aprimoramentos de conectividade que favoreçam esses avanços”, destaca o diretor regional do SENAI-RN, Emerson Batista.

 

O Programa Brasil Mais atenderá estabelecimentos que variam de 11 a 499 funcionários, fará a capacitação profissional e conduzirá mentorias especializadas em práticas e tecnologias que potencializem os resultados da produção.

 

Programa

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou, nesta terça-feira (18/3), decreto de criação do programa Brasil Mais. Coordenado pelo Ministério da Economia, o Brasil Mais será gerido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

 

O Brasil Mais tem o objetivo de aumentar a eficiência das empresas e ampliar a produtividade e a competitividade do setor produtivo brasileiro em uma jornada de transformação digital. A meta é atender 200 mil micros, pequenos e médios empreendimentos da indústria, do comércio e de serviços de todo o território nacional, até 2022. O programa reúne metodologias e ferramentas de baixo custo voltadas para melhorar a capacidade de gestão e de produção, reduzir desperdícios e aprimorar processos, em um cenário de transformação digital.

 

“O Brasil Mais tem como principal objetivo apoiar empresas da indústria, comércio e serviços, de todo o território nacional, para que elas consigam obter ganhos na produtividade e se tornem mais competitivas”, afirma o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.

 

“Acreditamos que o programa estimulará o aumento dos investimentos necessários à tão desejada retomada do desenvolvimento econômico e social do país, viabilizando a geração de mais e melhores empregos para os brasileiros”, afirma Andrade.

 

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, afirmou que “o programa Brasil Mais foi desenhado, em parceria e usando a experiência e estrutura do SENAI, Sebrae e ABDI, para promover uma grande transformação no tecido produtivo brasileiro, a partir do desenvolvimento das capacidades gerenciais mais críticas para ganhos de produtividade”.

 

Para participar do programa, as empresas devem se cadastrar por meio do portal https://brasilmais.economia.gov.br/, responder a um questionário para avaliar o grau de maturidade, de produtividade e de gestão. Depois dessa etapa, a companhia será encaminhada para o atendimento assistido de um dos parceiros do Brasil Mais: Sebrae ou SENAI.

 

“Ao promover a melhoria de processos produtivos e de gestão, o Brasil Mais vai contribuir para iniciar a jornada de transformação digital do setor produtivo, favorecendo o aumento de produtividade das empresas e a competitividade do país”, disse o presidente da ABDI, Igor Calvet. A ABDI terá a missão de administrar a plataforma do programa e realizar a gestão de dados, “o que contribuirá para o monitoramento dos resultados do programa e a formulação de ações futuras voltadas para micro, pequenas e médias empresas”, segundo Calvet.

 

Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, “o aumento da produtividade brasileira passa necessariamente pela micro e pequena empresa, que representa 99% dos negócios do país. Acreditamos que o Brasil Mais será a porta de entrada para disseminar melhorias gerenciais e inovações tecnológicas de modo a aumentar a participação dos pequenos negócios no PIB, de 27% para 40% na próxima década”.

 

por Aldemar Freire, jornalista, UNICOM/FIERN