FIERN entrega medalha do Mérito Industrial Walter Byron Dore em cerimônia, no dia 14

6/12/2021   16h11

 

 

Principal homenagem prestada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, a medalha do Mérito Industrial Walter Byron Dore — um reconhecimento a personalidades que se destacam pelo empreendedorismo, pelo trabalho para o desenvolvimento da indústria e em defesa da livre iniciativa — será entregue na próxima terça-feira (14) à noite, no Olimpo Recepções, em cerimônia restrita à diretoria da FIERN.

 

Os homenageados nesta edição de 2021 serão os empresários Álvaro Coutinho da Motta (In Memorian), Eduardo José de Farias, Etelvino Patrício de Medeiros, Francisco Ferreira Souto Filho e Gabriel Calzavara de Araújo. Na ocasião, também será entregue a Medalha da Ordem do Mérito Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao empresário potiguar Antônio Leite Jales.

 

“Essas homenagens são reconhecimentos a trajetórias empresariais que, além de se destacaram em seus setores, se consolidaram como referências para a indústria pela capacidade empreendedora, pela iniciativa, pelo pioneirismo, pela atuação em favor do desenvolvimento e pela confiança que sempre tiveram na superação dos desafios. Com a entrega da Medalha do Mérito Industrial Walter Dore, homenageamos a própria a indústria do Rio Grande do Norte, afinal, se trata da condecoração merecida destes empresários, porque eles são demonstração e exemplo da capacidade empreendedora do empresário potiguar”, disse Amaro Sales, presidente da FIERN.

 

Entre os seis homenageados, cinco com a comenda da FIERN e um com a da CNI, há industriais dos setores de curtume e confecções, sucroalcooleiro, reciclagem, pesca, sal e alimentos.

 

Álvaro Coutinho da Mota, homenageado in memorian, exerceu os mandatos eletivos de deputado estadual, federal e suplente de senador, além de cargos públicos em instituições financeiras, antes de se dedicar exclusivamente à iniciativa privada na indústria, a partir dos anos 80. Foi dirigente das empresas J. Motta, Confecções Arpel, Piruá Construtora e Reflorestadora e Motta Hotéis. Também atuou em associações de classe, sendo membro da Associação de Exportadores do RN, da Associação Brasileira dos Químicos e Técnicos da Indústria do Couro (ABQTIC) e da FIERN. Presidiu os Sindicatos das Indústrias de Calçados e das Indústrias de Curtumes do RN.

 

Eduardo Farias foi emancipado aos 16 anos para assumir a direção das unidades de usinas do grupo empresarial da família em Pernambuco e no Rio Grande do Norte. Aos 18 anos, assumiu a diretoria do Sindicato das Usinas de Pernambuco tornando-se presidente aos 33 anos por dois mandatos consecutivos. Foi vice-presidente da FIEPE.  Participou da fundação do Sindicato das Indústrias de Álcool dos Estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. Em 1988, assumiu a presidência do Grupo Farias e ampliou os negócios do Grupo além das fronteiras de Pernambuco e do Rio Grande do Norte para Paraíba, Ceará, Goiás, São Paulo e Acre. No setor sucroenergético adquiriu mais 5 usinas nos estados de Goiás, São Paulo e Acre.

 

Etelvino Patrício de Medeiros atua há mais de 30 anos no mercado da reciclagem. Aos 7 anos, já acompanhava os pais na compra, classificação e venda dos materiais recicláveis. Aos 16 anos, começou a trabalhar efetivamente com reciclagem e no ano de 1996 abriu sua primeira Razão Social, a Patrício Metais, que à época atuava na área de compra de e venda de metais não ferrosos. No ano de 2004 abriu sua 2ª empresa, a COMCEL. Em 2009, abriu a Recicla, empresa 100% voltada para a reciclagem de materiais. Além da empresa Recicla, fazem parte do Grupo Patrício’s as empresas P&P, COMEL (em Mossoró/RN) e a CONFEL (em Fortaleza/CE). Etelvino Patrício é presidente do Sindicato das Indústrias de Reciclagem e Descartáveis do RN (Sindirecicla-RN).

 

Francisco Ferreira Souto Filho tem uma trajetória que se confunde com a do setor salineiro do Estado. Em 1953, participou ativamente da fundação do Sindicato da Indústria de Sal, o SIESAL, no qual foi o primeiro presidente e foi sucessivamente, por unanimidade, reconduzido ao cargo por mais de seis décadas. Em 2020, ele afastou-se da função e foi nomeado presidente de honra. Ele também é um dos membros fundadores da FIERN, da qual é um dos diretores. Integrou a Associação Brasileira de Extratores e Refinadores de Sal, a ABERSAL, por mais de 40 anos.

Em maio de 2010, recebeu a Ordem do Mérito Industrial, pela CNI. Entre as diversas pautas que defendeu e lutou estão o Porto Ilha, o Polo Gás-Sal e contra a ameaça de exploração de sal gema no Espírito Santo. Atualmente, além de manter os investimentos na área de sal, Francisco Souto Filho também possui fazendas dedicadas à instalação de parques eólicos no Rio Grande do Norte e no Ceará.

 

Gabriel Calzavara de Araújo, desde 1995, se dedica às atividades ligadas aos oceanos, através de empresas de Pesca Industrial Oceânica e de Transporte Marítimo de Cabotagem. É presidente do Sindipesca. Entre os anos de 1995 e 1996, mobilizou cerca de 60 embarcações fábricas espanholas de pesca de atuns e swordfish para pescaria no Brasil, difundindo novas tecnologias. Participou da gestão do então presidente Fernando Henrique Cardoso, como diretor nacional de Pesca. De volta às atividades industriais no RN, implementou ações estratégicas de modernização das pescarias de atuns e ampliação dos mercados de consumo, sendo pioneiro no Brasil, através de sua empresa Norpeixe, da rastreabilidade dos atuns e swordfishs e no uso intensivo do Anzol Circular, prática de pesca ecologicamente correta. Em 2011, liderou o Projeto Atum Brasil Superfrozer por meio da sua empresa Atlântico Tuna, trazendo para pescar embarcações frigoríficas com tecnologia de pescar atuns em altas profundidades e congelamento dos peixes a bordo a baixíssimas temperaturas.

 

Antônio Leite Jales, fundou a primeira loja da SterBom no bairro do Alecrim, em 1991, com um freezer emprestado e um carrinho de rua. O negócio prosperou e, em 1998, a empresa mudou-se para Parnamirim, onde instalou sua indústria própria e diversificou ainda mais sua linha de produtos. Hoje, a SterBom gera centenas de empregos diretos no RN e possui lojas de sorvetes finos, milhares de pontos de venda, frota com veículos, milhares de freezers, além da fábrica de água mineral mais moderna do País e a segunda maior fábrica de casquinhas (produto que é vendido para todo o Brasil). Além do RN, a SterBom atende PE, PB e CE, com a produção de sorvetes, picolés, casquinhas, biscoitos wafer, garrafinhas de água mineral e garrafões.