MAIS RN destaca crescimento de 17% na arrecadação do RN em março, no Boletim da Evolução Fiscal

25/04/2022   15h18

 

O Rio Grande do Norte arrecadou R$ 633 milhões em impostos no mês de março de 2022, o que representa um crescimento de 17% na arrecadação própria em comparação com o mesmo período de 2021. Esses dados estão destacados no Boletim da Evolução Fiscal do RN, divulgado pelo MAIS RN na sexta-feira (22).

 

Do total arrecadado em três tipos de tributo estadual (ICMS, IPVA e ITCD), o levantamento aponta que R$ 591 milhões foram recolhidos apenas com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Nessa conta, o setor de maior arrecadação do imposto foi o de combustíveis (26,54%), seguido pelo comércio atacadista (20,58%) e pelo comércio varejista (19,42%). A lista é completa pelos setores de energia elétrica (14,81%), indústria da transformação (13,85%) e comunicações (4,81%).

 

Na plataforma de Business Inteligence (BI) do MAIS RN ainda estão sistematizados outros dados globais da arrecadação de impostos desde março de 2021, como o valor médio de operações e a média diária de Notas Fiscais Eletrônicas emitidas. Além disso, mostra os números da arrecadação de outros impostos estaduais, como o Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens e Direitos (ITCD) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

 

Confira a plataforma de BI da Evolução Fiscal do Rio Grande do Norte, acessando: https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMDQ0N2YzM2UtYjAzOC00MTAzLWJkZTktNzNjM2ZiYjc2YjczIiwidCI6IjhmMDYyNWI4LTkzM2YtNDM3Yi1iNDE4LTA5NTcxZTY5YmZlNCJ9

 

Sobre o MAIS RN

Lançado em 2014 como um observatório da indústria e um mapa de oportunidades de negócios, potenciais econômicos e ações prioritárias, em âmbito público e privado, o MAIS RN inicialmente listava uma série de ações e metas para viabilizar, em 20 anos, um novo patamar de crescimento econômico do Rio Grande do Norte, sendo apresentado a gestores públicos.

 

Em 2020, o programa atingiu nova feição ao lançar a versão digital, o Mais RN 4.0 e, em meio a pandemia de covid-19, lançar mão de recursos e plataformas digitais de Power BI ganhou espaços de debate junto aos empresários, com o Mais RN em Ação, que trouxe as Salas de Situação.

 

Para o Observatório, foi criado um conjunto de dashboards com dados e indicadores, de diversas fontes — como emprego, desemprego, arrecadação pública, ICMS, PIB per capita do Município, PIB da Indústria, PIB dos Serviços, análise da evolução do emprego, evolução da indústria -, que se correlacionam e podem ser atualizados para dar um panorama geral e sistematizado sobre determinado cenário ou setor da economia.

 

Com o MAIS RN em Ação, a FIERN se tornou um centro de inteligência para a economia privada, com enfoque no empresário e suas demandas. Atualmente, o Mais RN trabalha junto às cadeias de geração de Energias, Têxtil e confecção, Infraestrutura, Parque tecnológico, Pesca, Pecuária, Mineração, Turismo e Fruticultura, entre outras.

 

A plataforma desenvolveu também o documento Agenda Propositiva para o Desenvolvimento do RN, entregue ao Governo do Estado em outubro de 2021, elencando pontos e ações que envolvem poucos recursos financeiros em termos de investimento público, mas são de fundamental importância para a economia potiguar