Cluster Tecnológico Naval do RN é destaque no primeiro dia da Semana da Amazônia Azul

13/11/2023   18h16

O Cluster Tecnológico Naval do Rio Grande do Norte foi tema de palestra no primeiro dia da Semana da Amazônia Azul & Economia do Mar, evento com vasta programação que tem a missão de disseminar o conceito de Amazônia Azul e a importância desse abrangente setor da economia. O secretário-executivo da Associação do Cluster Tecnológico Naval do RN (ACTN-RN), Daniel Lana Penteado, foi responsável pela apresentação, na tarde desta segunda-feira (13), na Casa da Indústria.

 

Organizado como um arranjo produtivo local, o Cluster do RN tem como princípio a promoção da sinergia e a geração de negócios entre os atores envolvidos direta e indiretamente com a Economia do Mar no Rio Grande do Norte, por meio da interação sistêmica entre Academia, Iniciativa Privada e Governo, criando um amplo espaço de consenso e promovendo o desenvolvimento econômico e social da região.

 

 

“Para alcançar esse objetivo, buscamos a consolidação de um ambiente de cooperação e parcerias para agentes econômicos, públicos e privados, bem como interações estratégicas com outros Clusters marítimos e tecnológicos no país e no exterior”, destaca Daniel.

 

A ACTN-RN foi fundada em 14 de dezembro de 2022, na Casa da Indústria, pela Federação das Indústrias do RN (FIERN), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial no RN (SENAI-RN), Cooperativa de Produção e Serviços da Cadeia Produtiva da Pesca e Aquicultura do Brasil (Coopesbra), Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), 3R Petroleum e Intermarítima Portos & Logística. Em 7 de março de 2024, a associação será aberta para a participação de outras instituições e empresas.

 

Durante o painel, Daniel também apresentou a plataforma ‘Economia Azul’, desenvolvida em parceria com o Observatório da Indústria MAIS RN, e o planejamento estratégico 2024-2029 para o Cluster. Desenvolvida a partir do conceito de Business Intelligence (BI), a plataforma mostra números atualizados sobre emprego, estabelecimentos, remuneração média, participação na economia, exportação e população ligadas a economia do mar e Amazônia Azul.

 

 

Para o gerente do Observatório da Indústria, Pedro Albuquerque, a Economia do Mar tem grande potencial para a indústria do Rio Grande do Norte. “Os dados sozinhos não geram nada, apenas sanam a curiosidade, mas podem ser ferramentas importantíssimas para a tomada de decisões. Nacionalmente, está sendo discutida a Política Industrial do Brasil e, coincidentemente, também estamos debatendo a do Rio Grande do Norte. Nesses contextos, a Economia do Mar é um grande potencial para a neoindustrialização”, afirma Pedro.

 

 

Os Clusters no Brasil

 

O Vice-Almirante Edésio Teixeira, diretor-presidente da Emgepron, também apresentou a atuação estratégica da empresa por meio dos clusters navais. A expectativa é desenvolver diversos arranjos produtivos locais para a formação de um “hipercluster marítimo brasileiro”, como classificou Edésio, nos moldes do Cluster Marítimo Europeu.

 

 

Ele destacou os clusters como instrumentos de desenvolvimento e apresentou um protótipo desenvolvido dentro da atuação do Cluster Tecnológico do Rio de Janeiro: o Veículo de Superfície Não Tripulado (VSNT).
“Queremos uma embarcação que sirva à defesa da soberania, levantamentos hidroceanográficos, patrulha ambiental e controle do tráfego marítimo. O projeto é de uma embarcação de 11 metros totalmente autônoma e que será evolução das fragatas da classe Tamandaré”, explicou Edésio, durante o Painel Clusters Tecnológicos Navais do Brasil, no final da manhã desta segunda (11).

 

Semana da Amazônia Azul & Economia do Mar

 

De 13 a 19 de novembro, com uma programação diversa, a 1ª Semana da Amazônia Azul vai incentivar uma ampla reflexão e divulgar, para a sociedade potiguar, o significado do conceito “Amazônia Azul” e a importância da “Economia do Mar” para o desenvolvimento da costa Nordestina, sobretudo do nosso Rio Grande do Norte, estimulando debates sobre as possibilidades de geração de emprego, renda e divisas, além do fortalecimento da soberania nacional e da economia brasileira.

 

A Amazônia Azul é a região que compreende a superfície do mar, águas sobrejacentes ao leito do mar, solo e subsolo marinhos contidos na extensão atlântica que se projeta a partir do litoral até o limite exterior da Plataforma Continental brasileira. A região tem 5,7 milhões de Km², com grandes possibilidades de exploração sustentável das riquezas existentes na área marítima Brasileira. Em 16 de novembro, o Brasil irá comemorar o “Dia Nacional da Amazônia Azul”.

 

A Economia do Mar pode ser definida como o total de bens e serviços, em valores monetários, destinados ao consumo final e produzidos nos setores econômicos associados ao mar. Pode ser também traduzida pela quantificação dos usos ofertados pelo mar, ou por meio dele. Independentemente de morarmos perto ou longe do mar, ao consumirmos, usufruirmos e apreciarmos quaisquer recursos que o mar ofereça, somos a engrenagem que move essa economia.

 

A 1ª Semana da Amazônia Azul é realizada pela Marinha do Brasil, pelo Comando do 3º Distrito Naval da Marinha do Brasil, pela Sociedade Amigos da Marinha de Natal (SOAMAR-Natal) e pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos dos Recursos do Mar (NIRMAR), da UFRN, com apoio da FIERN.

 

Texto e fotos: Guilherme Arnaud