Construção potiguar registra queda da atividade e do emprego em novembro, mostra Sondagem FIERN

20/12/2023   10h52

 

A Sondagem Indústria da Construção do RN, elaborada pela FIERN em parceria com a CNI, registra queda no nível de atividade em novembro de 2023, após registrar estabilidade no mês anterior, segundo avaliação dos empresários do setor. O indicador de nível de atividade atingiu 47,9 pontos (valores abaixo de 50 pontos indicam retração), 2,1 pontos abaixo do patamar de outubro (50,0 pontos). Apesar do resultado negativo, o indicador de nível de atividade está 3,5 pontos acima do patamar de novembro de 2022 (44,4 pontos) e 4,3 pontos sobre a sua média histórica (agora em 43,6 pontos). Acompanhando o desempenho da atividade, o número de empregados também caiu (47,9 pontos), depois de apontar estabilidade por quarto meses consecutivos. A Utilização da Capacidade Operacional (UCO), por seu turno, alcançou 46%, o que representa avanço de 3 pontos percentuais nas comparações com outubro de 2023 (43%) e novembro de 2022 (43%), mas está 2 pontos percentuais abaixo de sua média histórica (hoje em 48%).

 

Todos os indicadores de expectativas sofreram queda em dezembro de 2023, quando comparados ao mês anterior. Em relação ao número de empregados, as perspectivas ainda são positivas, mas menos otimistas (indicador de 52,1 pontos). Os indicadores do nível de atividade (49,9 pontos) e dos novos empreendimentos (49,9 pontos), ficaram ambos praticamente sobre a linha divisória de 50 pontos, apontando previsão de estabilidade nos próximos seis meses. Quanto às compras de insumos e matérias-primas, os empresários preveem ligeira queda. A intenção de investimento, por sua vez, voltou a cair, atingindo 33,0 pontos, o que representa recuo de 5,2 pontos em relação a novembro (38,2 pontos), mas encontra-se 1,5 ponto acima do indicador de dezembro de 2022 (31,5 pontos) e 0,6 ponto sobre sua média histórica (agora em 32,4 pontos).

 

Comparando-se os índices mensais avaliados pela Sondagem Indústria da Construção potiguar com os resultados divulgados em 19/12 pela CNI para o conjunto do Brasil, observa-se que, de um modo geral, as avaliações convergiram, com a diferença de que na indústria nacional, os empresários preveem estabilidade nas compras de insumos (indicador de 50,1 pontos) e crescimento nos novos empreendimentos e serviços (51,0 pontos) nos próximos seis meses.

 

Para maiores informações sobre a Sondagem Nacional, acesse o link: https://static.portaldaindustria.com.br/media/filer_public/bf/95/bf95a192-2b5b-45ce-921c31ebd206288d/sondagemindustriadaconstrucao_novembro2023.pdf