Ricardo Alban assume presidência da Confederação Nacional da Indústria

31/10/2023   14h16

 

O empresário Ricardo Alban toma posse nesta terça-feira (31), em Brasília, no cargo de presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Ele foi eleito em 3 de maio deste ano, em votação unânime, na chapa que é composta por cinco vice-presidentes executivos, cada um representando uma região do país. A nova diretoria assume a gestão da maior representação da indústria brasileira para o período de 2023-2027.

 

Presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) desde 2014, Alban substitui o empresário mineiro Robson Braga de Andrade, que comandava a CNI desde novembro de 2010. Para seu mandato, o novo presidente afirma que a prioridade será a defesa da retomada do protagonismo da indústria como motor do desenvolvimento econômico e social do Brasil.

 

“O momento atual é propício para promovermos a chamada neoindustrialização. A revolução tecnológica em curso e a necessária descarbonização da economia são janelas de oportunidades que devem ser aproveitadas pelo Brasil. Para isso, precisamos de capacidade em inovação, em pesquisa e desenvolvimento, para absorvermos e desenvolvermos tecnologias para que o país cresça, crie empregos, amplie sua presença no comércio mundial e reduza as desigualdades sociais”, disse Alban.

 

Transmissão de cargo

 

Durante reunião de diretoria da CNI, na manhã desta terça-feira, Ricardo Alban agradeceu a Robson Andrade pelo processo tranquilo de transição e disse que contará com a contribuição de cada um dos diretores eleitos para sua gestão à frente da CNI. “Vou precisar de cada um de vocês. Juntos podemos fazer sempre mais. Vocês vão ouvir falar muito a palavra cumplicidade. Vou dar o melhor de mim e só vou conseguir isso se tiver o melhor de vocês. Vamos valorizar as convergências e administrar as divergências”, destacou Alban.

 

Em sua última reunião de Diretoria, Robson Andrade agradeceu aos presidentes de federações estaduais da indústria, diretores e colaboradores da CNI pelo apoio e pela dedicação ao longo dos 13 anos em que comandou a entidade. “Vocês me apoiaram, me ajudaram, deram força, sempre discutiram em nível muito elevado, trouxeram projetos fantásticos e defenderam a indústria brasileira, me apoiando para que a CNI pudesse fazer um trabalho importante junto às instituições, ao governo e ao Congresso Nacional”, pontuou.

 

“Vocês todos foram muito importantes. Essa gestão foi coletiva, tudo o que conseguimos foi fruto da união, do trabalho conjunto e do trabalho de cada um para que a CNI pudesse fazer a diferença para a indústria brasileira, colaborando para o desenvolvimento do país”, completou Robson Andrade.

 

Biografia – Ricardo Alban

 

Ricardo Alban, de 63 anos, presidiu a FIEB por 9 anos e foi presidente do Centro das Indústrias do Estado da Bahia (CIEB), desde 2018. Ele é formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal da Bahia e Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas da Bahia. O novo presidente da CNI trabalhou no Citibank no início dos anos 1980 e, desde 1987, é sócio-diretor da Biscoitos Tupy, tradicional fábrica de alimentos baiana fundada por sua família.

 

Sob a liderança de Ricardo Alban, a FIEB ganhou envergadura e eficiência, atestadas pelo aumento significativo na prestação de serviços à indústria baiana. A gestão corporativa foi um dos grandes focos de sua administração. A FIEB publica balanços auditados nos grandes jornais, e órgãos de controles nacionais como CGU e TCU analisam seus editais.

 

A inovação foi outro vetor que ganhou destaque na gestão de Alban à frente da FIEB, com iniciativas voltadas ao incentivo à pesquisa e desenvolvimento (P&D), e energia limpa. A FIEB contribuiu para criar na Bahia um hub para a nova indústria, baseada em inovação, P&D e energia limpa, por meio do SENAI Cimatec, Cimatec Park e ações com a adesão ao Pacto Global. Nesse contexto, destaca-se o Cimatec Park, inaugurado em 2019 numa área de 4 milhões de m² no polo industrial de Camaçari, com investimentos de cerca de R$ 100 milhões.

 

Ao longo de sua trajetória profissional, Alban dedicou-se a promover a indústria por meio de participação ativa em entidades empresariais e de desenvolvimento regional. Ele é vice-presidente da CNI (2018/2023); vice-presidente da Associação Nacional da Indústria de Biscoitos; presidente do Sindicato da Indústria do Trigo, Milho, Mandioca, Massas Alimentícias e de Biscoitos do Estado da Bahia; membro do Conselho Nacional do SESI; membro da Associação Nordeste Forte; membro titular do Conselho Diretor do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT); membro do Conselho de Administração da Renova, do Conselho de Administração da Cetrel e do Conselho Consultivo Agro da Unigel.

 

Composição da nova diretoria

 

Na eleição da CNI, votaram todos os 27 presidentes de federações estaduais da indústria, na presença de
lideranças industriais de todos os estados.

 

Conheça todos os membros da diretoria e do Conselho fiscal da gestão 2023-2027:

 

DIRETORIA

 

Presidente

Antonio Ricardo Alvarez Alban

 

Vice-presidentes executivos

Josué Christiano Gomes da Silva
José Ricardo Montenegro Cavalcante
Jamal Jorge Bittar
Antonio Carlos da Silva
Gilberto Porcello Petry

 

Vice-presidentes

Eduardo Eugenio Gouvea Vieira
Mario Cezar de Aguiar
Carlos Valter Martins Pedro
Ricardo Essinger
Flavio Roscoe Nogueira
Silvio Cezar Pereira Rangel
Amaro Sales de Araújo
Marcelo Thomé da Silva de Almeida
José Carlos Lyra de Andrade
Sergio Marcolino Longen
José Conrado Azevedo Santos
Leonardo Souza Rogério de Castro

 

1º Diretor Financeiro

Cristhine Samorini

 

2º Diretor Financeiro

Eduardo Prado de Oliveira

 

3º Diretor Financeiro

Francisco de Assis Benevides Gadelha

 

1º Diretor Secretário

Sandro da Mabel Antonio Scodro

 

2º Diretor Secretário

Edilson Baldez das Neves

 

3º Diretor Secretário

Roberto Magno Martins Pires

 

Diretores

Antonio Jose de Moraes Souza Filho
Izabel Cristina Ferreira Itikawa
José Adriano Ribeiro da Silva
Luiz Cesio de Souza Caetano Alves
Jorge Alberto Vieira Studart Gomes
Roberto Pinto Serquiz Elias
José Henrique Nunes Barreto
Paulo Afonso Ferreira
Gilberto Ribeiro
Jandir Jose Milan
Gilberto Seleme
Alessandro Jose Rios De Carvalho
Jorge Wicks Corte Real
Alexandre Herculano Coelho de Souza Furlan
Edson Luiz Campagnolo

 

CONSELHO FISCAL

 

Titulares

Hilton Morais Lima
Fernando Cirino Gurgel
José da Silva Nogueira Filho

 

Suplentes

Clerlanio Fernandes de Holanda
Francisco de Sales Alencar
Edmilson Matos Cândido